A misteriosa história do cabelo ruivo ao longo da história

A misteriosa história do cabelo ruivo ao longo da história

A misteriosa história do cabelo ruivo ao longo da história

Menos de 2% da população é ruiva. Ao longo da história, os cabelos ruivos foram adorados, idealizados, fetichizados, temidos e condenados.

Pesquisamos e estudamos o fenómeno do cabelo ruivo através dos tempos, para mostrar os momentos mais intrigantes da história (outra maneira de descrever as ruivas). Por isso mesmo, se és ruiva, conheces uma ruiva ou é apenas uma entusiasta, este artigo é para ti!

Uma visão geral da história do cabelo ruivo

Ao longo da história, cabelos ruivos foram associados ao mal; vampiros, bruxas e estranhas eram tradicionalmente sempre retratadas com cabelos ruivos. Existem inúmeras razões para isso, uma delas é que, na verdade, ter cabelos ruivos é incrivelmente raro (menos de 2%, lembras-te?), e a sociedade geralmente desconfia de algo “diferente”, principalmente quando é tão perceptível e atraente.

A misteriosa história do cabelo ruivo ao longo da história

Alguns estudiosos também traçam esse medo/aversão aos cabelos ruivos até a crença de que Judas, que traiu Jesus na Bíblia, tinha cabelos ruivos. Culturalmente, supõe-se que qualquer pessoa com cabelos ruivos tenha um temperamento quente e uma personalidade tempestuosa.

E, no entanto, nem toda a sociedade tinha opiniões negativas sobre cabelos ruivos; na Itália e na Grécia, era historicamente visto como muito popular – talvez devido à sua raridade nessas partes do mundo. Ao examinarmos a história, descobrimos que a henna também tem sido usado desde os tempos antigos para criar cabelos ruivos e era muito popular no Antigo Egipto e no Médio Oriente.

A misteriosa história do cabelo ruivo ao longo da história

Na Inglaterra de Elizabeth, o cabelo ruivo era muito popular, devido precisamente ao cabelo ruivo natural de Elizabeth I, e muitos homens e mulheres pintaram o cabelo de vermelho para mostrar lealdade à rainha. No século 16, a popularidade de Tiziano Vecelli, como era conhecido em inglês, a arte de Ticiano também iniciou uma tendência para cabelos ruivos, com mulheres italianas usando ingredientes, incluindo açafrão e ruibarbo, para obter a cor.

As bruxas tinham cabelos ruivos

Nos mitos gregos antigos, diziam-se que os ruivos se transformavam em vampiros após a morte e, durante os séculos 16 e 17, a maioria das mulheres que eram rotuladas como bruxas tinham cabelos ruivos. Estima-se que em torno de 45.000 mulheres ruivas tenham sido queimadas como bruxas, o que é uma parcela considerável da população.

Para reiterar, tal provavelmente ocorreu devido ao facto de ter cabelos ruivos ser tão raro, uma vez que te destacas da multidão e, portanto, é mau (pelo menos naquele tempo – convenhamos, hoje serias uma das mais prestigiadas influencers). Mesmo antes do julgamento das bruxas, as obras de arte do século XV retratavam bruxas com cabelos ruivos.

Imagens: divulgação A misteriosa história do cabelo ruivo ao longo da história . .
Sem comentários ainda

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será divulgado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.