Algumas considerações sobre moda, estilo e tendências

Algumas considerações sobre moda, estilo e tendências

A moda define-se como ilusão efémera, já o estilo é definido a partir do reconhecimento e da diferença. A moda é baseada em estilos. O estilo não é baseado em moda. Somente quando se consegue a aceitação de um grande número de audiências é que o estilo se torna moda.

A moda é uma maneira especial de decorar e significar o corpo. Isso afecta directamente a identidade individual e colectiva. Poderíamos dizer que é uma manifestação do nosso ser, identidade ou estilo, influenciado por uma tendência actual do mercado. Esses padrões de identidade estão intimamente associados ao vestuário que decidimos usar, dependendo do contexto, da cultura e da sociedade a que pertencemos.

A moda não é simplesmente uma manifestação de exibicionismo, mas tornou-se num sistema permanente, uma realidade social e histórica. Podemos definir moda como uma procura frenética por novidades e uma maneira de venerar o presente. Estes conceitos estão relacionados de acordo com uma sociedade aberta, numa cultura na qual os valores primários são o prazer, a procura permanente de pertencer a um grupo e ao mesmo tempo ser diferente, único, exclusivo.

O principal é o prazer, a individualidade e a máscara, essa máscara que dá uma imagem de equivoco e ambígua, facilitando a passagem de uma maneira de ser para outra muito diferente. Definindo arquétipos e estereótipos através de um estilo.

Estilo é um modo de expressão básico e distinto, é a maneira como estão feitos os objectos, e diferentemente de como são os objectos, em geral todos os estilos estão integrados com a moda. É assim, e se falarmos sobre moda falamos sobre uma representação da tendência, algo fugaz, efémero e, em seguida, como fazer um estilo durar e definir a imagem de um arquétipo a seguir?

Algumas considerações sobre moda, estilo e tendências

O estilo passa a ser uma forma de individualização; uma maneira de se mostrar diferente dos outros e, portanto, identificar-se nos massa como um ser único e especial. O estilo promete eternidade e temporalidade. É considerado um recurso de auto conhecimento, uma forma particular de identificação que gera nas pessoas um sentimento de pertencer a um mundo paralelo dentro do espectro da moda, onde são os únicos protagonistas. Dessa maneira, as pessoas seriam portadoras de um estilo e isso marcaria a diferença.

Estilos não são formas paralelas de moda, mas são membros da mesma; a confusão entre os termos moda e estilo é muito comum, fala-se de um, quando na realidade se quer falar do outro. A relação do estilo com a moda é de ordem do geral com o particular. A moda, nestes casos, assume uma posição de reinado e governante do mundo do bom gosto, mas, ainda assim, existem pequenas modas que são estabelecidas noutras esferas não tão grandes e que se denominam de estilos.

Tendências como o estilo dão a impressão de serem algo místico, mágico e oculto, não sabemos de onde vêm, existem pessoas que as possuem e as conhecem e outras que não, ocorrem sem mais, não são sustentadas por nenhum conceito racional.

A relação entre as variáveis moda e estilo é dada como uma relação unilateral, e não bilateral. A moda é baseada em estilos. O estilo não é baseado em moda. Somente quando se consegue a aceitação de um grande número de audiências é que o estilo se torna moda.

Algumas considerações sobre moda, estilo e tendências

A cultura sempre distingue entre o privado e o público ou entre o novo e o antigo entre o superior e o inferior. O mesmo o faz moda. Os objectos são usados da mesma maneira para mostrar a distinção entre classes, as escalas de selecção de produtos que vão do mais sofisticado ao mais refinado e se vão mantendo em diferentes categorias e formas.

As tendências actuais da moda geralmente são determinadas por uma atitude de poder e autoridade (como mandatos subliminares) e isso determina o gosto estético estilístico.

O corpo é estruturado através de um pensamento de construção cuja representação é o vestido; parece que o corpo real faz sentido a partir da imaginação de um ideal; a moda tem a capacidade de submeter qualquer corpo (como uma prancha ou uma parede em branco) ao ideal predominante da moda, ou seja, a capacidade de o representar através de uma ilusão efémera, impulsionada por tendências e fazer o usuário acreditar que é livre e que a independência o autoriza a encontrar rapidamente o seu próprio estilo.

Algumas considerações sobre moda, estilo e tendências

Em suma, cada estilo possui em si uma série de elementos enunciativos, com características especiais que enfatizam diferentes pontos do corpo, como reconhecimento, ocultação ou manifestação de gostos e valores predeterminados para um determinado período.

O estilo torna-se na forma de individualização dentro da tirania da moda; é uma maneira de se mostrar diferente dos outros e, portanto, permitir ser identificado como um ser único e especial; esse recurso pode ser usado para alcançar o auto conhecimento, uma forma de particularidade diante da generalidade, um sentimento de pertencer a um mundo paralelo no qual essa diferença os torna protagonistas em estilo.

Mariana Tavares

Imagens: divulgação Algumas considerações sobre moda, estilo e tendências .  .
Sem comentários ainda

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será divulgado.

Pode utilizar estas HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.