As limitações a ter em conta ao praticar exercício

As limitações a ter em conta ao praticar exercício

Mesmo que acreditemos que com uma simples constipação não precisamos de interromper a nossa rotina de exercícios, é bom reduzir a intensidade para que o nosso organismo se possa recuperar adequadamente.

Fazer exercícios físicos é um dos melhores hábitos que podemos colocar em prática para cuidar da nossa saúde física e mental.

É muito fácil ser incorporado na rotina diária, não requer muito tempo, e os seus benefícios são tantos que não têm comparação com outras actividades.

Na verdade, é uma das formas mais efectivas de aumentar o gasto energético para equilibrar o peso e prevenir vários tipos de doenças.

Além disso, tem efeitos positivos nas funções cognitivas, na resistência física e noutros aspectos que melhoram a produtividade no dia a dia.

As limitações a ter em conta ao praticar exercício

Porém, mesmo que seja aconselhada a sua prática diária, existem algumas situações nas quais é melhor evitar os exercícios para não sofrer reacções indesejadas.

Dado que muitos desconhecem quais são as mesmas, a seguir revelamos em detalhe as 7 principais.

1. Ter uma infecção com febre

As infecções com febre, dor e mal-estar geral são uma resposta do sistema imunológico diante da actividade descontrolada de alguns vírus e bactérias.

Neste tipo de situações as forças físicas são reduzidas e, mesmo que seja diferente para cada caso, não é bom fazer exercício nesta altura.

Esta actividade inibe de modo transitório a função dos mecanismos de defesa e implica um gasto energético extra.

Por isso, praticar exercícios pode gastar as energias de que o corpo precisa para lutar de forma contundente contra a infecção.

2. Ter dormido pouco

Dormir menos de cinco horas é um hábito que causa graves consequências físicas e mentais no organismo.

Mesmo que muitos dos seus efeitos não se manifestem no momento, com o passar do tempo podem ser desenvolvidas complicações e doenças.

O sistema imunológico e as forças físicas enfraquecem-se imediatamente, por isso não é apropriado sobrecarregar o corpo com a prática de uma rotina de treinos.

Uma má noite não só reduz o rendimento durante o exercício, como também aumenta a fadiga, o desequilíbrio e a falta de coordenação.

As limitações a ter em conta ao praticar exercício

3. Ter uma lesão ou ferida

As lesões musculares, articulares e ósseas requerem estritos cuidados como parte do seu tratamento, já que qualquer erro pode provocar graves complicações.

Embora muitos especialistas aconselhem alguns exercícios de baixo impacto como complemento para a recuperação, é preferível repousar durante alguns dias.

Isso deve-se ao facto de que os movimentos dos tecidos lesionados impossibilitam a cicatrização e cura, o que prolonga a ferida ou, pior, a agrava.

É primordial ter isto sempre em mente, principalmente diante de:

• Fracturas
• Tendinite
• Entorses
• Contusões
• Feridas abertas

4. Sofrer de gastroenterite

As doenças do sistema digestivo afectam o rendimento durante a prática de exercícios físicos e podem causar vómitos, diarreia e outros incómodos sintomas.

Para alguns viciados em exercícios estes transtornos não são um motivo para abandonar os treinos.

No entanto, é importante dar ao corpo um tempo de repouso para a sua recuperação, já que o movimento excessivo e a perda de líquidos pode piorar a condição.

5. Receber o diagnóstico de uma doença cronica

Os pacientes diagnosticados com doenças cronicas como o cancro, a hipertensão severa ou a diabetes devem ter muito cuidado no momento de fazer actividade física.

Estas e outras doenças alteram o funcionamento dos órgãos mais importantes do corpo e, por sua vez, implicam um gasto maior de energia.

Por tal razão é importante afastar-se da rotina de exercícios, pelo menos até que o diagnóstico se confirme e seja iniciado um tratamento para estabilizar os sintomas da doença.

Uma vez controlada, o treino de baixo impacto é benéfico para enfrentar a doença.

6. Estar com uma constipação

Algumas posturas de ioga podem ser benéficas para controlar vários sintomas da gripe e constipação.

No entanto, as actividades de alto impacto, como o exercício cardiovascular, podem piorar os sintomas, inclusive quando são feitos de forma leve.

A transpiração, a perda de líquidos e o frio reduzem a resposta imunológica e deixam o corpo susceptível ao ataque dos vírus.

7. Ter feito esforços físicos

Nem sempre é necessário procurar um ginásio para activar e exercitar o corpo.
Em certas ocasiões fazemos algumas actividades que, sem notarmos, trabalham os nossos músculos e todos os sistemas que participam quando treinamos.

Levantar caixas pesadas, mover móveis e inclusive fazer as tarefas de limpeza podem implicar certos esforços físicos que devemos ter em consideração.

Fazer mais exercício depois deste tipo de actividades aumenta o risco de lesões musculares e fadiga.

Em conclusão, mesmo que o exercício seja uma prática muito benéfica para a saúde, é primordial saber quais as situações a evitar.

Mesmo que quase sempre os seus efeitos sejam positivos, algumas vezes o nosso corpo não está em condições de o suportar.

Sem comentários ainda

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será divulgado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.