Baixa médica para menstruação dolorosa

Baixa médica para menstruação dolorosa

Itália poderá torna-se no primeiro país europeu a dar baixa remunerada a mulheres na altura da menstruação.

Pode ser o primeiro país da União Europeia a conceder uma licença remunerada de três dias para todas aquelas mulheres que sofrem fortes dores menstruais. Uma medida que tem gerado controvérsia e ainda está em debate, mas que, se aprovada significará que as empresas terão de conceder três dias por mês a todas as mulheres que dela necessitem.

Numa entrevista ao Washington Post, a economista Daniela Piazzalunga disse que “as mulheres já beneficiavam de dias de folga por causa da dor menstrual, mas esta nova lei pode-lhes permitir uma baixa médica ou outro tipo de licença”.

Parece um passo extremamente positiva, mas na opinião desta economista também pode ter um lado negativo: “pode diminuir a procura entre as empresas a contratar mulheres, ou as mulheres podem ser penalizadas tanto progressão na carreira como em termos salariais.

De facto, a Itália tem uma menor percentagem de mulheres que trabalham em comparação com o resto da Europa, apenas 61% das mulheres o fazem em comparação aos 72%. Teremos que esperar até que a medida seja aprovada e posta em prática para comprovar se em algo afecta a essas trabalhadoras e as suas perspectivas futuras.

Este tipo de licença remunerada não é nenhuma novidade. Na verdade, existe no Japão desde 1947 e foi introduzida noutros países, como Taiwan, Indonésia e Coreia do Sul. Nem é uma coisa exclusiva de países, como contamos neste artigo, visto que  em 2007 Nike criou uma permissão especial para que as suas funcionárias pudessem ter alguns dias de folga durante o período e conseguiu com que outras empresas o façam actualmente.

Será uma medida contagiosa?

Sem comentários ainda

Comentários estão encerrados