A beleza natural é moda nos Estados Unidos

A beleza natural é moda nos Estados Unidos

Cada vez mais se somam mulheres de diferentes origens étnicas que incluem os grandes grupos demográficos

Mais e mais mulheres comuns se tornam a imagem de lojas, empresas de cosméticos e publicações nos Estados Unidos graças às novas gerações, que buscam inspiração na beleza comum. “É incrível como os nossos clientes se sentem identificados connosco”, disse à EFE a esteticista Taija Kerr, a primeira mulher afro-havaiana a ser modelo para uma campanha de cosméticos nos Estados Unidos.

Kerr, que trabalha numa loja da Sephora, faz parte de uma campanha protagonizada  por dez funcionários desta cadeia de produtos de beleza. “Isto significa mais possibilidades e oportunidades. Não só para mim e os funcionários da Sephora, mas para quem tem medo de tentar algo novo”, disse ela.

Taija Kerr, a primeira mulher afro-havaiana a ser modelo para uma campanha de cosmético
Taija Kerr, a primeira mulher afro-havaiana a ser modelo para uma campanha de cosmético
Inclusão e diversidade

Nos Estados Unidos, palavras como inclusão e diversidade têm sido parte da conversa no mundo do marketing da moda e cosméticos durante anos, como evidenciado pela incorporação de rostos de diferentes origens étnicas que cumpriam os estereótipos da beleza de grandes grupos demográficos. Em seguida, vieram os modelos de tamanhos grande e agora as marcas reinventam-se para se ajustar ao que os estudos de opinião dizem: as consumidores com menos de 35 anos, as chamadas millenials, têm uma nova ideia do que é ser bonita.

De acordo com um estudo da BeautyCon, uma empresa que realiza convenções de maquilhagem em todo o país, para 81%, a beleza é mais uma expressão da sua cultura e individualidade. As palavras que mais se associam à beleza são “verdade” e “positivismo”.

April Star, com 12 anos
April Star, com 12 anos

Em Outubro, a marca de cosméticos Wet’n’Wild apresentou como sua imagem Diandra Forrest, a primeira modelo negra albina a liderar uma campanha nacional desses produtos. Sephora incluiu uma empregada com alopecia na sua campanha e a Gap Kids contratou para sua imagem April Star, que com os 12 anos é uma das líderes de opinião mais populares.

Para Lauren Levinson, directora editorial de beleza do site PopSugar, “há um movimento que está redefinindo o que significa a beleza”. “As mulheres geneticamente abençoadas, como os anjos de Victoria’s Secret, Gigi Hadid e Kaia Gerber, sempre gostarão disso”, mas está feliz em ver que “as bloggers que não se parecem com modelos são tão populares nas redes sociais como elas”, mencionou.  .

Sem comentários ainda

Comentários estão encerrados