Bella Hadid orgulhosa de ser muçulmana

Bella Hadid orgulhosa de ser muçulmana

Bella Hadid é mais do que apenas um rosto bonito. Sempre se caracterizou por falar sobre questões que, às vezes, permanecem tabu: primeiro foram as suas palavras contra a luta a doença de Lyme e agora é a vez das políticas de migratórias de Donald Trump. Como filha de um pai palestino e mãe holandesa, falou do multi culturalismo, tradições e religião. Na verdade, é a primeira vez que uma das irmãs Hadid fala claramente da sua fé muçulmana.

“O meu pai era um refugiado quando chegou aos Estados Unidos, portanto eu e os meus irmãos entendemos de forma muito clara a situação”, explicou a proibição do governo Trump sobre o acesso ao país dos cidadãos de doze nacionalidades. Mohamed Hadid, o pai das duas modelos, nascido em Israel, de origem Palestina, tendo vivido no Líbano e na Síria (um dos países cujos passaportes estão agora vetados na entrada para os EUA). As irmãs Hadid, com a sua mãe, foram vistas no passado mês de Janeiro num protesto em Nova York contra as políticas de imigração Trump, carregando uma faixa com os dizeres “Somos todos hindus, budistas, muçulmanos, ateus, cristãos, judeus.”

❤That’s right, we are one….. Open to all religion, all races and all countries #America #LoveTrumpsHate #WeAreAllHuman

Uma publicação partilhada por YOLANDA (@yolanda.hadid) a

Bella também falou das tradições muçulmanas que viveu em sua casa. “O meu pai  sempre foi religioso, e sempre rezou connosco. Tenho orgulho de ser muçulmana”.  Estas declarações esclarecem o que já sugeriu a sua irmã Gigi quando posou com um véu para a capa da primeira edição da Vogue Arábia e na sua publicação em 2015 no Instagram em que se afirmava “50% palestiniana e orgulhosa disso”.

Sem comentários ainda

Comentários estão encerrados