Porque cheira mal o suor?

Porque cheira mal o suor?

É necessário, antes demais, clarificar que naturalmente o suor não tem qualquer cheiro.

O facto da transpiração de algumas pessoas não ter qualquer mau odor e a de outras cheirar mal que tresanda (normalmente o cheiro assemelha-se a amoníaco), intrigou-nos, pelo que após alguma pesquisa partilhamos os resultados esperamos, esclarecedores.

A alteração no cheiro do corpo pode ser provocada por uma série de factores que vão desde a alimentação até ao stress. E a partir do momento em que o odor gera desconforto e constrangimento é importante ficar atento às causas.

Para compreender o suor e o seu cheiro, é necessário saber que o corpo humano tem dois tipos de glândulas sudoríparas, as écrinas e as apócrinas. As primeiras estão espalhadas na pele de todo o corpo cuja função é actuar na regulação da temperatura corporal. Se a temperatura do corpo for elevada, aumenta a produção de suor.

O suor produzido pelas écrinas é constituído, basicamente, por água e alguns sais minerais e por isso não exala cheiro nenhum. Já as apócrinas estão presentes em algumas regiões específicas do corpo: axilas, área genital, couro cabeludo e ao redor dos mamilos.

Assim como as glândulas écrinas, as apócrinas produzem um suor inicialmente sem odor. Porém, devido à acção de bactérias presentes na pele, elas desenvolvem um odor forte e desagradável, que recebe o nome de bromidrose.

Por outro lado e para além dos factores genéticos, que determinam as características das glândulas apócrinas, há também outras condições que podem contribuir para o mau cheiro corporal como obesidade, má higiene pessoal, excesso de suor, ingestão excessiva de álcool e alguns alimentos como cebola, alho e pimenta .

Quando a alimentação interfere no nosso cheiro

Os principais alimentos que contribuem para o mau cheiro são os que contém enxofre, como o alho e a cebola. O consumo excessivo desses alimentos e dietas restritas em carboidratos são factores desencadeantes do odor característico.

A ingestão excessiva de proteínas aumenta a produção de amônia, que se manifesta em um suor com cheiro.

As pessoas que não conseguem metabolizar os alimentos devem evitar consumir uma grande quantidade de ovos, peixe, fígado, cebola, legumes e alho. Dessa forma é possível evitar o mau cheiro. Outro facto que pode ser responsável por essa alteração é o stress e a ansiedade.

Além das axilas, algumas pessoas também apresentam um odor muito forte nos pés, e quando a sudorese é abundante nos pés podem surgir sinais de maceração e descamação da pele.

O que fazer para evitar o mau cheiro

Alguns hábitos ajudam a controlar o odor como lavar os locais afectados, ensaboando bem e dando preferência a sabonetes antissépticos; secar bem a pele após o banho, especialmente entre os dedos dos pés, trocar as roupas e meias diariamente, e manter uma alimentação balanceada.

Em caso de excesso de suor, a hiperidrose, pode-se associar substâncias antitranspirantes, mas a indicação do produto mais adequado, deve ser indicada pelo médico dermatologista.

Previne-te:

— Não te descuides da higiene pessoal

— Dá preferência aos sabonetes antissépticos e aos desodorizantes antiperspirantes

— Troca de roupa todos os dias

— Evita as roupas de tecido sintético, especialmente as meias

— Prefera os calçados abertos e fabricados com matérias-primas naturais aos fechados e produzidos com material sintético

— Foge da auto medicação. Consulta um dermatologista para orientar o tratamento, se o odor da transpiração se tornar inconveniente.

Sem comentários ainda

Comentários estão encerrados