Chocolate negro fortalece as capacidades cerebrais

Chocolate negro fortalece as capacidades cerebrais

Continuam as boas notícias em relação ao chocolate: o seu consumo diário fortalece as capacidades cerebrais.

A chave está na moderação. Trata-se de comer um par de quadrados por dia de chocolate escuro, não engolir tablets que conduzem à obesidade e revertem os benefícios.

A este respeito, os neurologistas dizem que consumir chocolate negro e fazer exercício é uma excelente combinação para proteger o cérebro. O resultado é uma melhor performance da memória e das funções mentais.

Como explicado, o chocolate negro actua como um neuroprotetor favorecendo o nascimento de novos neurónios, o processo de conexão entre os neurónios e a plasticidade cerebral positiva.

Além disso, melhora a função cognitiva, especialmente a atenção, memória, velocidade de processamento, flexibilidade mental, criatividade, motivação e iniciativa.

A responsável por tantos benefícios é a carga de polifenóis que contém o chocolate negro. Muitos estudos científicos mostraram que os polifenóis reduzem o risco de doenças cardiovasculares, – principal causa de morte no mundo – melhora o fluxo sanguíneo cerebral, diminui a frequência de acidentes vasculares cerebrais e facilita a recuperação em caso de ocorrência. Também melhora o fluxo sanguíneo para os membros inferiores e a área genital, com efeitos muito interessantes.

O consumo de cacau com alto conteúdo de compostos fito químicos conhecidos como flavanóis pode reverter a perda de memória associada ao envelhecimento normal em adultos mais velhos. Isso foi comprovado por investigadores da Universidade de Columbia nos Estados Unidos e publicado na Nature Neuroscience.

Neste estudo, os benefícios foram atribuídos ao alto teor de flavanóis, concretamente o tipo de epicatequina, que contém chocolate negro.

Os participantes que neste estudo tinham ingerido bebidas com alto conteúdo de flavanóis tiveram um desempenho 25% melhor no teste de memória visual, em comparação com aqueles que ingeriram bebidas com baixo conteúdo desses compostos.

Por outras palavras, os investigadores assinalaram que a melhoria na memória visual do grupo que ingeriu a bebida com alto teor de flavanol significa que, em média, estes indivíduos realizaram a mesma habilidade que as pessoas com menos 20 ou 30 anos. Um resultado muito significativo.

No entanto, os benefícios do chocolate negro são reforçados com o exercício físico, embora tenha que ser intenso. Além dos flavanóis, foi demonstrado em ensaios anteriores que a actividade aeróbica melhora a memória em pessoas mais jovens, portanto, o estudo da Universidade de Columbia também foi projectado para avaliar o efeito da actividade aeróbica de intensidade moderada nesta região do cérebro.

No entanto, testes de memória e estudos de imagem não revelaram um aumento nas funções do giro denteado. Perante estes resultados, os autores concluíram que as pessoas mais velhas provavelmente deveriam realizar um exercício aeróbico mais intenso para alcançar os efeitos benéficos que a actividade física programada geralmente traz para às pessoas mais jovens.

Sem comentários ainda

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será divulgado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.