Cirurgia plástica na adolescência: entende os riscos

Cirurgia plástica na adolescência: entende os riscos

Cirurgia plástica na adolescência: entende os riscos

A adolescência é uma fase de transformação, é o momento de transião entre a infância e a idade adulta. Durante esse período diversas mudanças acontecem, do ponto de vista psicológico, físico e social. O crescimento ganha um novo ritmo, acelerado, e o corpo perde as suas características infantis e passa a ter formas mais maduras.

No meio de tantas mudanças, muitos adolescentes passam a ficar insatisfeitos consigo mesmo ao espelho e então optam por se submeter a algum tipo de procedimento estético e/ou cirúrgico. Segundo dados de 2017 divulgados pela ISAPS (International Society of Aesthetic Plastic Surgery), mais de 23 milhões de procedimentos estéticos foram realizados em todo o mundo. Portugal ocupa a 28ª posição com a média de 258 procedimentos por ano.

A internet, em específico as redes sociais, o padrão de beleza de Hollywood, a massificação da indústria de cosméticos são alguns dos factores que mais influenciam as pessoas a realizarem intervenções cada vez mais precoces. De acordo com o cirurgião plástico, Giovanni Augustus, é preciso constatar que o corpo dos jovens ainda pode sofrer alguma mudanças no decorrer dos anos, mas se o adolescente optar por mesmo assim realizar o procedimento é necessário além da permissão do responsável, o acompanhamento por um psicológo e até mesmo psiquiatra.

Cirurgia plástica na adolescência: entende os riscos

Ainda segundo o cirurgião, cirurgias estéticas podem ser realizadas desde a infância, mas desde que seja algum tipo de cirurgia reparadora. Mas é importante ressaltar que procedimentos estéticos são realizados em pessoas que, acima de tudo, sejam saudáveis.

Entre os riscos que o adolescente corre ao se submeter a uma cirurgia plástica é o facto do próprio jovem se arrepender da mudança realizada no seu corpo. Como dito anteriormente, a adolescência é um período de transição em que a pessoa deixa de ser criança e passa a ser adulto e isso vem com várias transformações físicas e psicológicas.

Cirurgia plástica na adolescência: entende os riscos

Para optar por realizar um procedimento estético ou cirúrgico, o responsável pelo jovem deve de preferência escolher um profissional de confiança e sempre pesquisar mais de uma opinião diferente. O processo de recuperação após um procedimento pode ir de três meses até dois anos, varia em cada caso.

Imagens: divulgação Cirurgia plástica na adolescência: entende os riscos .
Texto: Geovana Tavares
Sem comentários ainda

Comentários estão encerrados