Gostar de moda ou ser fanática por moda?

Gostar de moda ou ser fanática por moda?

OPINIÃO – Tenho uma noção de moda que considero todos deveriam ter. Bem, pelo menos um pouco. Não me entendam mal, não quero dizer que todas as pessoas do mundo devam ser apaixonadas por desfiles e marcas de luxo, ou que almejem usar nada além de Chanel e Louis Vuitton. Não, não é isso.

Simplesmente no que me toca, para mim a moda é um meio de comunicação, tão claro quanto um jornal, uma revista ou os perfis mais virais das redes sociais. É uma forma de expressão, como escrever uma carta ou mandar um tweet para outra pessoa. A moda diz muito sobre quem somos e pode dizer mais ainda sobre quem queremos ser.

Ela denuncia muitos dos nossos gostos e, principalmente, traços da nossa personalidade. É possível pensar na moda como um diário, basicamente, todos os dias ela mostra um pouco do nosso humor e, se pudesse, contaria todas as histórias que cada peça de roupa viveu connosco. É uma das formas de expressão mais fortes que eu conheço e  acredito no seu poder de transmissão de ideias.

Gostar de moda ou ser fanática por moda?

Por isso, sempre achei que todos deveriam ter uma noção mínima sobre assunto e como a moda pode ser muito poderosa. Pensem só: uma única peça de roupa pode demonstrar todas as vossas intenções sobre alguma coisa, como uma entrevista de emprego, uma reunião importante ou o primeiro encontro com aquela pessoa especial. As roupas definem locais de trabalho, festas, marcaram décadas inteiras e já foram motivo de reuniões da realeza francesa. A moda é maravilhosa e tem muito a oferecer.

Encontrar o seu próprio estilo, no entanto, não é nada fácil e é preciso muito auto conhecimento para lá chegar. E, honestamente, a viagem é bem agradável. Conhecer o que assenta bem no próprio corpo, o que faz com que nos sintamos lindas (mesmo que seja aquela camisa velha) e o que queremos dizer com aquilo que usamos é um processo incrível e que leva bastante tempo. Em qualquer altura da vida, todas nós já usamos uma peça errada, nos tornamos nas tais fashion victims. É normal.

Isso significa que temos de seguir todas as pseudo-regras que inventam por aí? Claro que não! A moda deixou de ter regras. Nada na vida é engessado e a moda não é excepção. Cada um inventa as suas próprias regras o que faz com que cada pessoa se senta confortável. Porque essa é a palavra chave: conforto. Se gostamos e nos sentimos bem a usar salto alto durante o dia todo, então usemos à vontade! Se preferirmos os rasos, há uma infinidade de opções!

Pensar na imagem pode, sim, parecer fútil, mas também pode ser importante para mostrar o que queremos ser e ajudar-nos a chegar lá. Usar uma roupa que demonstra o que nós temos do lado dentro é a missão mais maravilhosa para quem gosta tanto de moda. Afinal, a verdade é que de nada adianta a roupa mais bonita do mundo se ela não representa quem somos. As roupas são o que nós vivemos dentro delas. O importante é o que nos sintamos bem quando as usamos e não o contrário.

Eu gosto de moda por isso. E vocês?

Maria Batista

Imagens: divulgação Gostar de moda ou ser fanática por moda? . .
Sem comentários ainda

Comentários estão encerrados