Hollywood: os grandes vencedores dos Óscares 2018

“And the Oscar Goes to…” A 90ª edição do The Academy Awards decorreu na noite de Domingo (4) no Dolby Theater, em Hollywood, nos Estados Unidos.

O evento apresentou uma decoração virtual totalmente pautada no movimento rococó, homenageando o estilo art déco que era sensação em 1929 (noite do primeiro Óscar). O design também ecoava a decoração do Roosevelt Hotel na mesma época, trazendo uma sensação vintage e nostálgica para a noite.

A entrega dos prémios prosseguiu com muitas homenagens a artistas e integrantes de produção que faleceram no último ano, além de montagens repletas de cenas marcantes de inúmeros filmes, com direito a participação de diversos actores enviando mensagens de incentivo à igualdade de género, além de demandarem cada vez mais papéis inclusivos para aumentar a representatividade na tela.

A Forma da Água arrecadou quatro prémios das 13 indicações que tinha inicialmente, ganhando o Melhor Filme, Direcção de Arte, Banda Sonora e Direcção. No seu discurso ao receber o prémio de Melhor Director, o mexicano Guillermo del Toro comentou sobre os personagens que não se encaixam nos padrões da sociedade e lembrou a todos que é um imigrante a viver nos Estados Unidos.

Conquistas importantes alcançadas

Apesar das tentativas da Academia em tentar apresentar a importância de temáticas como a igualdade de género e inclusão, ainda parece que há muito o que melhorar nesse sentido, e é importante que discursos de apresentação como os das actrizes Tiffany Haddish e Maya Rudolph ecoem fortemente. A dupla comentou de maneira ácida sobre o progresso dos prémios, com falas objectivas e com sarcasmo na medida certa, ganhando os holofotes não apenas para si mesmas, mas especialmente para a causa.

A actriz e vencedora do Óscar Lupita Nyong’o, ao lado do cineasta e nomeado Kumail Nanjiani, demonstrou apoio à associação Dreamers, que luta e representa imigrantes; ao passo que a apresentação dos artistas Commom e Andra Day contou com a participação de 10 activistas de diferentes causas no palco.

Frances McDormand, por sua vez, roubou os holofotes no seu discurso ao receber o Óscar de Melhor Actriz por Três Cartazes à Beira da Estrada. A vencedora pediu para que as demais indicadas na mesma categoria e todas as mulheres que trabalham em filmes se levantassem e a apoiassem enquanto ela fazia o seu discurso. O pedido foi para evidenciar a presença das mulheres na plateia, que eram inúmeras, e fazer um apelo a Hollywood para que aumentem a inclusão feminina, concedendo mais oportunidades às mulheres em todos os cargos que elas exercem.

McDormand também disse o seguinte: “Olhem em volta, senhoras e senhores, porque todas nós temos histórias para contar e projectos que precisam ser financiados. Não falem connosco sobre isso nas festas de hoje. Convidem-nos para ir aos vossos escritórios alguns dias, ou podem vir aos nossos – o que for mais conveniente para vocês. Eu tenho três palavras para deixar convosco esta noite: cláusula de inclusão”. A cláusula em questão permite que actores possam colocar nos seus contratos uma exigência, pedindo o mínimo de diversidade na equipa de um filme.

Os vencedores da noite

Abaixo a lista com os principais vencedores das categorias

Melhor filme: “A Forma da Água”
Melhor realizador: Guillermo del Toro, “A Forma da Água”
Melhor actriz: Frances McDormand, em “Três Cartazes à Beira da Estrada”
Melhor actor: Gary Oldman, em “A Hora Mais Negra”
Melhor actriz Secundária: Allison Janney
Melhor actor secundário: Sam Rockwell, em “Três Cartazes à Beira da Estrada”
Melhor canção original: “Remember Me”, do filme de animação “Coco”
Melhor banda Sonora: “A Forma da Água”
Melhor fotografia: “Blade Runner 2049”
Melhor argumento original: “Get Out” (Jordan Peele)
Melhor argumento adaptado: “Call Me By Your Name
Melhor curta-metragem: “The Silent Child”
Melhor efeito visual: “Blade Runner”
Melhor filme de animação: “Coco”
Melhor curta de animação: “Dear Basketball”
Melhor Filme Estrangeiro: “A Fantastic Woman” (Chile)
Melhor direcção de arte: “A Forma da Água”
Melhor mistura de som: “Dunkirk”
Melhor Edição Sonora: “Dunkirk”
Melhor documentário: “Icarus”
Melhor Guarda Roupa: “Linha Fantasma”. Estava nomeado nesta categoria o português Luís Sequeira, responsável pelo guarda-roupa do filme “A Forma da Água
Melhor caracterização: Kazuhiro Tsuji, David Malinowski e Lucy Sibbick, “A Hora Mais Negra”
Melhor edição: “Dunkirk”

Fonte: CNN
Sem comentários ainda

Comentários estão encerrados

Tendências Online Portugal Shopping Online Ignorar

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.