Jessica Miller – Uma modelo que nasceu para triunfar

Jessica Miller - Uma modelo que nasceu para triunfar

BIOGRAFIA – Com o seu olhar, um dos seus pontos fortes, conseguiu enfeitiçar todos os grandes nomes da moda. Desde Calvin Klein até Chanel, todas as marcas quiseram ter este rosto nas suas campanhas.

Jessica Miller nasceu em Las Vegas em 1984 e desde muito cedo foi bastante favorecida pela sorte. O pai carpinteiro e a mãe coralista, nunca se predispôs a dedicar-se a sério ao mundo da moda. De facto, a infância de Jessica pode resumir-se como uma rapariga rebelde que apenas frequentava a escola.

Tudo mudou quando tinha 15 anos, em 1999. Esse foi o ano em que a sua mãe a convenceu a ingressar numa escola de modelos. Facto que demonstrou que desde muito cedo a sua mãe teve bom olho, uma vez que nem passara um ano e já a agência Next lhe propunha um contrato para trabalhar na dita agência.

Jessica Miller

Os primeiros meses de Jessica no mundo da moda não foram propriamente os melhores. Sem dar um rápido salto para o estrelato, ia trabalhando arduamente e cultivando o seu futuro pouco a pouco. Assim, em 2000, foi capa da revista Vogue edição Russa, junto a uma jovem Raquel Zimmermann, e nos finais desse ano já desfilava para nomes como John Richmond e marcas como Trussardi.

2001 seria o ano chave na vida de Jessica Miller. Começaria a desfilar para nomes mais sonantes como Yves Saint Laurent, Thierry Mugler e Lanvin. A sua presença nas pasarelas dava-lhe ainda mais força, o que lhe veleu um contrato por dois anos para desfilar em exclusivo para Calvin Klein. No entanto, esse contrato significava algo mais, uma vez que se tratava de substituir Kate Moss como imagem de marca.

Durante esses dois anos que trabalhou exclusivamente para CK, choveram propostas de trabalho e imagens de capa. Entre 2002 e 2003 seria capa, entre outras, das revistas Vogues nas versões italiana, francesa e espanhola e na Harper’s Bazar.

Também em 2003 assinaria 3 novos contratos de publicidade, nesta ocasião para Givenchy, Tommy Hilfiger e Fendi. Para além disso, contou com a sua presença no famoso calendário Pirelli.

Nos finais desse ano voltaria de novo às passarelas: Chanel, D&G, Versace, Cavalli, Givenchy, Donna Karan e um grande etcétera. Um ano esgotante mas que repetiria em 2004 e 2005. Sendo estes dois os seus melhores anos, já se falava numa nova super-modelo.

Depois de renovar o seu contrato com Calvin Klein, a marca decidiu cancelar o mesmo e incorporar Natália Vodianova como imagem de marca. Este feito afectou Jessica, de tal modo que as suas aparições nas passarelas começaram a diminuir progressivamente.

Em finais de 2005 decide retirar-se das passareles e dedicar-se exclusivamente a campanhas publicitárias como as de Chanel Cosmetics, David Yurman, Blumarine, H & M, Emporio Armani, Zara, etc.

Nos finais de 2007 retorna às passarelas, apesar de uma maneira muito pontual. De facto apenas foi vista em Setembro de 2007 no desfile de Chanel Resort em Nova Iorque, e na de Ashley Paige em LA Faishon Week.

Apesar do seu ritmo de trabalho ter baixado consideravelmente, Jessica Miller continua viva no mundo da moda. Em 2008 foi imagem para Hugo Boss com a linha Orange, e também imagem de Miss Sixty para além de aparecer em vários editoriais como no mês de Novembro nas edições francesa e alemã de Vogue.

Um super-modelo que provavelmente ficou pelo caminho, sem que no entanto tenha perdido a esperança de regressar ao topo.

Sem comentários ainda

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será divulgado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.