Jovens estilistas têm que se adaptar à nova realidade

Jovens estilistas têm que se adaptar à nova realidade

Jovens estilistas têm que se adaptar à nova realidade

André Atayde diz que, inicialmente o concurso Bloom estava previsto para ser feito em março, contudo, devido à pandemia teve que ser transferido para agora.

Foi a 2 de março deste ano que surgiram os primeiros casos de COVID-19 no país, apenas 11 dias depois, o Portugal Fashion teve que ser suspendido devido à evolução do surto no país, o que levou a um reforço das medidas de contenção da epidemia.

Isso significou que todos os desfiles e apresentações de moda do segundo e terceiro dias da 46ª edição do Portugal Fashion não se realizaram por haver riscos para a saúde pública. Contudo, isso fez com que a 47ª edição deste evento se reinventasse e, assim, fosse possível acontecer e realizar-se também o concurso Bloom.

Jovens estilistas têm que se adaptar à nova realidade

Seja qual for a modalidade profissional que cada um dos jovens opte neste novo conceito de pandemia e neste contexto, os jovens criadores estilistas, não deixa de ser desafiante e até algo de loucura saudável, seguirem traços já antes definidos e levarem o seu sonho por diante. Apesar de existir um clima de incerteza, não é de todo um impedimento apresentarem as suas coleções no Bloom do Portugal Fashion.

Tal como André Atayde menciona, “independentemente de serem jovens criadores ou criadores consagrados, é importante passar uma mensagem de que independente de como estão as coisas, há um espaço e um sítio onde eles podem mostrar o trabalho, que é o trabalho deles e do qual eles vivem ou pretendem viver, e é importante saber que há alguém que atento e está a tentar dinamizar algumas parecerias e fechar algumas parcerias.”

A equipa deste evento tenta então passar uma mensagem de esperança, mostrar que independentemente da pandemia, “há algum espaço para eles e os novos criadores são super importantes e são uma continuação do Portugal Fashion.” tal como diz um dos organizadores do evento.

Dito isso, qual é então a importância do Portugal Fashion para os novos criadores? Segundo André Atayde “O Portugal Fashion é importante como plataforma de divulgação do trabalho de todos os criadores, particularmente dos novos, porque têm um mercado e uma dinâmica mais pequena daqueles que já são mais conhecidos e portanto também é uma forma de serem mostrados ao mundo e fazer com que as pessoas fiquem a conhecê-los, o nome deles e o trabalho.”

Jovens estilistas têm que se adaptar à nova realidade

Falando de criadores do Bloom que hoje em dia são um exemplo de sucesso, André Atayde consegue rapidamente encontrar exemplos. Trata-se de David Catlán que começou no Bloom e hoje em dia está na passerele principal e na Semana da Moda de Milão.

Embora o mundo viva um clima de incertezas, está provado que todos nós, particularmente os jovens criadores, neste caso estilistas, não devem desistir de alcançar o que desejam.

Imagens: Portugal Fashion Jovens estilistas têm que se adaptar à nova realidade . .
Sem comentários ainda

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será divulgado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: