Lipossucção VS Lipoescultura: conhecer e escolher

Lipossucção VS Lipoescultura: conhecer e escolher

Corria o ano de 1979, quando o cirurgião francês de nome Gerard Yves LLouz apresentou a lipossucção como o método eficaz para extrair a gordura subdérmica do corpo, sem necessidade de incisões extensas. Se alguns o levaram a sério, a verdade é que a grande maioria não acreditava que um simples corte no qual seria introduzido um cateter funcionando como aspirador, com suaves movimentos de vai e vem, produzisse qualquer resultado.

No entanto, com o decorrer do tempo ficou demonstrado que não só era uma técnica efectiva, mas como também se converteu na cirurgia estética mais praticada. E nos anos seguintes as técnicas cirúrgicas e os utensílios evoluíram da tal maneira, que o tamanho dos cateteres hoje é muito menor e os resultados mais perfeitos.

Lipoescultura: uma palavra para o corpo perfeito
Lipoescultura: uma palavra para o corpo perfeito

A lipoescultura é muito simplesmente outra denominação para esta técnica, sendo que apenas é utilizada para se falar de liposucções muito concretas e em pequenas zonas, que permitem remodelar o corpo, ou melhor, esculpir o corpo. O nome surgiu quando se começaram a utilizar cateteres mais finos – com 3 ou 4 mm de espessura – e a extracção começou a ser efectuada de uma maneira mais localizada para equilibrar os contornos, e não grandes volumes adiposos.

De facto, actualmente existem várias denominações apesar de se tratar do mesmo, segundo o volume de gordura extraída e as zonas trabalhadas.

Lipossucção
Lipossucção

Os seus resultados são muito bons. Toda a gordura subdérmica é extraída numa só sessão, com incisões mínimas, e para além disso em qualquer parte do corpo – abdómen, músculos, braços, nádegas, etc. -. A lipossucção melhora o contorno cultural, proporciona formas mais harmoniosas e as curvas mais proporcionadas diminuem de volume, não se dirigindo no entanto a pessoas obesas, mas sim somente a pequenos depósitos de gordura localizados.

Por outro lado é muito mais efectiva e produz melhores resultados em pessoas jovens, uma vez que nesta altura a pele é mais elástica tendo uma maior capacidade de voltar ao seu lugar depois de eliminada a gordura.

Na pele das pessoas com idade mais avançada, a elasticidade vê-se diminuída e podem aparecer irregularidades, tal como quando se perde muito peso. Uma pele flácida limitará a quantidade de gordura a extrair, para que os tecidos cutâneos não fiquem “vazios”, sendo que apesar de tudo se podem conseguir melhorias na silhueta.

Lipossucção VS Lipoescultura
Lipossucção VS Lipoescultura

Um dado importante, e acima de tudo animador, é que a gordura extraída através da lipossucção não volta a aparecer. Isto porque todas as pessoas nascem com um número determinado de células de tecido adiposo. O aumento de peso faz com que todas as células gordas aumentem de tamanho, mas não em número. Qualquer processo que tenha por finalidade diminuir o número de células adiposas tem efeito permanente.

Claro que neste artigo estamos a falar de gordura superficial. Se depois de uma lipossucção o paciente não mudar os seus hábitos alimentares, é possível que os seus depósitos adiposos mais profundos (a chamada gordura intrabdominal), aumentem de tamanho, com a consequente aparência de aspecto inchado e avultado.

O mais importante é que o paciente candidato a uma lipossucção se consciencialize de que a intervenção por si só não vai mudar a sua vida. Os hábitos nocivos tais como o tabaco, o álcool, dietas pouco saudáveis, e ainda o sedentarismo, devem ser substituídos por outros mais saudáveis que permitam um sucesso total na cirurgia.

Assim, não só se ganha esteticamente, mas também saudavelmente.

Sem comentários ainda

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será divulgado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.