No Instagram, as aparências iludem

Dizia-se antigamente, que a nossa visão do mundo depende da cor do cristal com a qual se olha. A versão millennial do conceito será algo assim, como os corpos que muitas pessoas admiram no Instagram dependem (e muito) do ângulo e da perspectiva em que se posa.

Isto é o que pretende demonstrar a modelo de tamanhos grandes, Sophie Turner, numa publicação que mostra a comparação do seu corpo numa pose relaxada e numa forçada. E as diferenças são grandes.

Nós já vimos uma blogger de fitness demonstrar a importância da perspectiva numa foto, e a grande diferença entre posar a consciência ou mostrar-se de forma natural. Mas Sophie, além disso, abriu-se no texto que acompanha as imagens sobre as auto lesões e a depressão que a acompanharam no passado, sempre devido ao relacionamento com o seu corpo.


O seu texto, que já tem quase 30 mil likes, é uma verdadeira canção à a consciencialização sobre a saúde mental:

“Perspectiva e ângulos… Conheço os meus ângulos e sei o que me faz parecer mais “ampulheta” e o que me faz parecer gorda. A verdade é que eu sou uma rapariga curvilínea com barriga, grandes músculos e umas nádegas gordas, mas aprendi a aceitá-lo. Lembro-me quando odiava tanto o meu corpo que pensei que, ao cortar as minhas pernas, poderia tirar sangue delas e que ficaria mais magra, porque ser gorda era o pior que poderia acontecer comigo. Não falo sobre as minhas auto-lesões e a minha depressão porque é algo que me custa falar hoje em dia. É algo de que tenho vergonha e sei que não deveria. A saúde mental é uma doença real e é muito importante colocar-nos a nós mesmas em primeiro e amar todos aqueles que nos apoiam. Sempre preciso de me lembrar que comecei esta página porque com 16 anos beneficia-se ver modelos da minha idade tendo confiança em si mesmas”.

Sem comentários ainda

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será divulgado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.