O perigo da beleza

O perigo da beleza

O perigo da beleza

OPINIÃO – Desde o aparecimento do homem na terra, a beleza tem sido algo que chama a sua atenção. Perceber e apreciar o belo, é um prazer inato do ser humano; tem a ver com a sua construção mental, que é influenciada pelas suas experiências, cultura, condição social, idade, educação, etc. Todos esses factores determinam a maneira como cada pessoa visualiza ou percebe o conceito de beleza.

Hoje, as coisas evoluíram de forma estranha. Os meios de comunicação e cultura pop são os novos transmissores de valores e novos modelos a seguir… Que horror! Tudo tem sido distorcido, reflectindo no ser humano uma obsessão terrível com o culto ao corpo. Aquilo que tanto nos repetiram em pequenos – a beleza interior é a importante, tu és valiosa por seres pessoa, incentiva a tua bondade, etc. -, parece ser parte de um passado muito distante.

Os padrões actuais têm negligenciado a importância do interior, para dar à “beleza” um novo trono, envolto em vaidade,  consumismo e excessos, transformando o homem num objecto comercial e comerciável. Um mal que infelizmente nos infectou a todos.

A influência é tal, que surpreendentemente existem pessoas que fazem o que for preciso, a fim de alcançar os padrões actuais que desesperadamente querem atingir. A obsessão pela distorcida ideia da beleza tornou-se material e superficial à essência do homem, deixando-o oco.

Estamos em crise de valores, de amor-próprio, auto-estima e princípios, motivo pelo qual andamos às cegas, sem rumo. O sentido da vida vai além do físico e do material.

Concordo que todos nos queremos ver belos, mas já pensaram que o conceito de beleza é hoje incongruente?

O que deves cuidar para ser bonita por fora é a tua sanidade interior. Se queres ter uma pele brilhante e cabelo sedoso, deves alimentar-te e hidratar-te adequadamente; se queres ser percebida como alegre e acessível, deves promover a paz e a harmonia interior; se quiseres que a roupa te assente bem em frente ao espelho com um corpo firme, deves fomentar os bons hábitos de exercício; se quiseres ser levada em consideração, deves instruir-te. Aperceberam-se? Tudo começa com a beleza e a imagem interior.

Em muitas ocasiões tantas cirurgias, tantas tatuagens, tanta anorexia, muita maquilhagem, etc., só diz o quão profundamente insatisfeitas e sós estão as pessoas. Não se envolvam em coisas pequenas, sem importância, não se deixem levar pelo que os outros pensam. Pensem no que vos agrada, e comecemos por aí.

A pressão externa excessiva não é boa. Como dizia sabiamente a minha mãe, “unta-te de sebo perante as opiniões nocivas dos demais, porque todos escorregam”.

Bem, sem exagerar.

Susana Matos – Psicóloga
Imagens: divulgação O perigo da beleza . .
Sem comentários ainda

Comentários estão encerrados