Quanto tempo dura o acto sexual perfeito?

Quanto tempo dura o acto sexual perfeito?

Tu provavelmente nunca colocaste um cronómetro ao lado da cama para ver quanto tempo dura a tua relação sexual. Isto porque o sexo não é uma corrida de 100 metros barreiras ou uma maratona para ser cronometrada. Mas já te perguntaste quanto tempo dura um bom acto sexual?

Fomos atrás da resposta na ciência e no tempo. E o número que encontramos foi de 25 a 31 minutos. Mas calma, respira e ouve até ao fim. Estamos a falar de sexo, mais concretamente do acto sexual no total, não apenas da penetração. Vamos às contas.
Preliminares: Uma pesquisa publicada em 2004 no “Journal of Sex Research”, com 152 casais, revelou que as mulheres acham 18 minutos o tempo ideal para os preliminares.
Penetração: Alguns anos depois, em 2008, o “Journal of Sexual Medicine” divulgou um estudo com 50 participantes revelando que a penetração perfeita dura entre 7 e 13 minutos.

Quanto tempo dura o acto sexual perfeito?

Somando tudo o que temos? Cerca de 30 minutos de sexo, o mesmo tempo que a terapeuta sexual Ava Cadell, autora do livro “The Pocket Idiot’s Guide to Oral Sex”, sugere numa entrevista à revista “Men’s Health” americana.

“Acto sexual que dure menos de meia hora não é satisfatório para as mulheres”, diz ela, recomendando que a penetração ocupe entre 1/3 ou 1/4 do tempo total. O resto deve ser investido na sedução pré-sexo e nos preliminares.

Obviamente existem aquelas mulheres que preferem “maratonas sexuais” de horas seguidas e aquelas adeptas da “rapidinha”. Mas em geral, com uma performance de 30 minutos tu já garantes satisfação total feminina. Não é nenhuma meta difícil de alcançar, pois não?

No entanto, pese estes factos, temos que convir que a duração considerada normal para uma relação sexual varia de acordo com o que pensamos ser normal. No final da década de 1940, o tempo médio de duração do sexo era de dois minutos para 45% dos homens, um número que pode gerar um diagnóstico de ejaculação precoce actualmente, segundo Crystal Dilworth, biomédica e divulgadora científica.

Outro facto curioso é que a ciência mostra que se engana quem pensa que o tempo das carícias preliminares é o factor que mais importa para a mulher atingir o orgasmo. Um estudo com 2.360 mulheres tchecas, publicado em 2009 no The Journal of Sexual Medicine e realizado pelos psicólogos Petr Weiss e Stuart Brody, concluiu que a chance de um orgasmo feminino tem maior relação com o tempo de duração do ato sexual do que com os preliminares.

Sem comentários ainda

Comentários estão encerrados