Reino Unido quer acabar com disparidades salariais entre sexos

Reino Unido quer acabar com disparidades salariais entre sexos

Lentamente, vamos vendo progressos no sentido de eliminar as disparidades salariais. Mais lentas do que gostaríamos, mas medidas legais e que assegurem esses  passos em direcção à igualdade. Se à algumas semanas atrás vimos que a Islândia proibia por lei a diferença salarial, agora é o Reino Unido que se debruça sobre o tema, forçando as empresas a relatar as diferenças salariais entre os trabalhadores do sexo masculino e feminino.

 

 

O Reino Unido tem uma brecha salarial de 18,1%, ligeiramente mais elevado do que a média europeia (16,5%). Para solucionar esta situação, o governo promulgou uma lei que vai obrigar as empresas com mais de 250 funcionários a publicar as diferenças salariais entre géneros já a partir do próximo ano.

Justine Greening, ministra de “Mulher e Oportunidades” do Reino Unido, afirmou que “ajudar as mulheres a alcançar o seu pleno potencial não só é a atitude correcta, mas também uma boa medida económica”.

 

Sem comentários ainda

Comentários estão encerrados