Sapatos “italianos” de Louis Vuitton feitos na Roménia

Sapatos "italianos" de Louis Vuitton feitos na Roménia

Num lugar tão sugestivo, misterioso e distante, como a Transilvânia, fazem-se os sapatos “italianos” de luxo da marca Louis Vuitton. Os sapatos são fabricados na Roménia e em seguida, terminam na Itália e França vendidos como italianos a um preço que vai desde os 500 a 1900 euros. Sapatos que são supostos ser de luxo, feitos numa oficina artesanal em Veneza, têm a sua origem muito mais longe.

Não se trata de questionar a qualidade dos materiais e acabamentos, já que tratando-se de Louis Vuitton, certamente, estamos a falar de luxo em estado puro, mas se surpreende que uma firma do grupo Louis Vuitton Moet Hennesy, que gasta milhões por ano em marketing vangloriando-se do seu “ancestral savoir-faire” e do “excelente trabalho artesanal feito na região de Veneza”, decida estabelecer o centro de produção noutra área mais conhecida pelos vampiros do que propriamente pelos seus trabalhos no mundo dos sapatos, tudo para cortar custos. No entanto, neles continuam a figurar as etiquetas “Made in Italy”, já que a parte final da produção (por a sola) é realizada no país transalpino.

Embora as fábricas dos produtos de luxo sejam geralmente um segredo bem guardado, não é a primeira vez que há um escândalo com estas características. Aproximadamente 20% da produção de Prada é feita na China, e nos fóruns da internet vários compradores das suas carteiras protestaram e ficaram irritados ao descobrir etiquetas “Made in China” nas suas caríssimas e exclusivas carteiras Prada.

Há fotografias da fábrica romena, com um grande desenho em cinza próprio de Louis Vuitton, e The Guardian conseguiu entrar no centro de produção para comprovar que milhares de pares de sapatos saem todos os dias. No entanto, Bernard Arnault, gerente da LVMH e homem mais rico de França, afirma que a produção na Roménia é muito pequena.

Fonte: The Guardian
Sem comentários ainda

Comentários estão encerrados