Sara Sampaio versus assédio sexual

Sara Sampaio versus assédio sexual

MODELOS – Sara Sampaio não fica calada: a revista Lui forçou-a a posar nua e publicou as fotos contra a sua vontade.

A top model portuguesa Sara Sampaio foi a último a dar um passo em frente no que diz respeito ao assédio sexual no trabalho. E fez isso num post do Instagram, com toda a visibilidade que isso implica juntando-se ao movimento #MeToo que começou na semana passada. Para isso, o anjo de Victoria’s Secret narra uma experiência recente e desagradável que aconteceu durante uma sessão fotográfica com a revista francesa Lui.

Sara Sampaio versus assédio sexual

Sara Sampaio estava posando para a capa da revista masculina como imagem para este Outono. Mas com condições muito claras. “O meu agente e eu insistimos num acordo claro para me proteger e controlar a decisão que fiz para não tirar fotos nua”, afirma a modelo no seu perfil do Instagram. No entanto, apesar desta cláusula restrita, parece que a pressionaram “agressivamente” para se colocar nua e, quando ela finalmente cedeu às pressões, publicaram as fotos na revista contra a sua vontade.

“Durante o dia da sessão precisei de me defender constantemente  e repetir os meus limites sobre o nu, certificando-me que me cobria tanto quanto possível. Enquanto analisávamos as imagens finais, percebi que havia algumas exposições acidentais com partes do meu corpo que eu não quero que sejam expostas. Deixei-o bem claro e garantiram-ma que não as utilizariam. A revista mentiu e publicou uma capa com uma imagem minha nua, o que é uma clara violação do nosso acordo”.

O triste é que a história de Sara Sampaio continua, porque não é a primeira vez que ocorre algo parecido. É verdade que a modelo aparece nua no passado e parece que os directores e fotógrafos querem que isso aconteça. “Muitas vezes os fotógrafos e estilistas pressionam-me ou pedem-me para posar nua, porque já o fiz no passado. Mas que o tivesse consentido na altura não significa que o aceite agora. Em muitas ocasiões mostraram-me essas fotos antigas como um exemplo do que eles queriam para me forçar e se eu recuso criticam-me e chamam-me de difícil”.

A discussão sobre o tratamento que as mulheres recebem em certas situações laborais e profissionais retorna à mesa, se é que em qualquer momento deixou de o estar,  depois do escândalo de Weinstein. Animada pelo clima de denúncia e solidariedade de outras vítimas, Sara Sampaio decidiu divulgar publicamente e legalmente a violação de um acordo e uma pose nua forçada a que foi submetida pela revista Lui. Como resultado deste abuso e sem melodia, a modelo, a sua agência e o seu advogado estão a tomar medidas legais contra a revista. “O que eles fizeram comigo é inaceitável. Sinto-me violada, maltratada e desrespeitada como profissional e como mulher”.

Sem comentários ainda

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será divulgado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.