Para um corte de cabelo perfeito….

Para um corte de cabelo perfeito....

A grande verdade é que para um corte de cabelo perfeito….  Não basta querer, mas sim procurar o melhor profissional.

Todos queremos ter um bom corte de cabelo e muito pouca gente ignora até que ponto um corte mal executado pode provocar uma sensação espantosa. Os estilistas sabem disto, por isso não fiquemos surpreendidos.

Na época em que vivemos estamos mais preocupados com o preço do que propriamente a qualidade, e quase sempre acaba por sair asneira. No entanto, existem várias maneiras de aliar a qualidade ao preço. Como?

Num salão de cabeleireiro normal, num dia normal, numa altura normal, é frequente (mais do que aquilo que devia ser) ver um profissional a trabalhar enquanto a sua cliente lhe confidencia os mais íntimos segredos e ele vai mastigando uma pastilha elástica, na maioria dos casos a pensar na sua própria vida ignorando tudo o resto. Entretanto, a sua cliente a uma determinada altura olha para o chão e fica angustiada com a quantidade de cabelo espalhado.

Quando a cliente repara que o cabelo lhe ficou demasiado curto, não hesita em o mencionar. Mas como resposta obtém um simples: ”Não se preocupe, volta a crescer”. Uma frase clássica que implica no mínimo uma enorme falta de consideração. Obviamente o cabelo iria crescer de novo, mas a auto-estima tinha sofrido um duro golpe. As pessoas não têm noção (a grande maioria) da importância que o cabelo tem na personalidade de cada um. Se não conscientemente, nas profundezas do subconsciente.

O cabelo faz parte do seu "Eu"
O cabelo faz parte do seu “Eu”

Mas há mais. Independentemente do artigo que proíbe fumar em todos os locais fechados, muitos profissionais ignoram esse aviso e continuam de beata na boca, ainda mais quando é um salão caseiro. Esses “profissionais” não têm a mínima noção de que as cinzas podem cair no cabelo dos seus clientes, senão mesmo em cima deles. Isto para não mencionar a falta de higiene e o mau cheiro que daí advém. É suposto sairmos de um salão com o cabelo a cheirar bem, não perfumado pela tabaqueira.

Cenas como estas deixam a maioria dos mortais estupefactos. É necessário que haja um mútuo entendimento e certa simpatia entre ambas as partes. Está tudo na comunicação. Apesar de não existirem estudos sobre o assunto, é um dado adquirido que muitas mulheres vêm no profissional um psicólogo; basta reparar que a grande maioria se dirige ao profissional como sendo “o meu ou a mina cabeleireira”. Ora isto é falso, os cabeleireiros limitam-se a prestar um serviço, logo a forma correcta seria “o ou a cabeleireira que me trata do cabelo”.

O segredo para um bom corte de cabelo começa pelo sentido da observação que deve ser amplamente explorado quando uma mulher vai, por exemplo, às compras. Faça disso uma prioridade. Observe os cortes de várias mulheres até que algum de facto lhe chame a atenção. Não hesite em se aproximar de uma desconhecida e lhe perguntar a que cabeleireiro vai. Por seu lado, ela ficará encantada por lhe responder, porque não existe praticamente nenhuma mulher que não goste de ser elogiada. E claro, nunca se deve esquecer de lhe perguntar o nome pois poderá servir como referencia.

Não é a extravagância mas sim a qualidade que dita a limpeza de um salão
Não é a extravagância mas sim a qualidade que dita a limpeza de um salão

Quando se sentar, escute atentamente o que o estilista tem para lhe dizer a propósito do seu cabelo. Escute as suas perguntas e pense bem antes de responder. Não há nenhuma necessidade de o fazer rapidamente uma vez que se trata do seu cabelo e do seu dinheiro, está a pagar pela experiencia e conselhos dele.

Quando por fim ele comenta o estilo que quer, o que lhe diz? A comunicação estabelece-se em ambos os sentidos? Muitas vezes as clientes escolhem um penteado que gostam, mas rapidamente se apercebem que a textura dos seus cabelos é incompatível com esse corte, uma vez que iria requerer demasiados cuidados diários.

Se a comunicação for boa, o estilista vai-lhe dizer se o estilo que escolheu é ou não adequado para o seu rosto. Seja como for, e em qualquer das circunstancias, ele entenderá o que precisa e não deixará de lhe dar um conselho sobre o que melhor se lhe adapta.

Por outro lado, observar os outros cabeleireiros dentro do mesmo salão também pode ajudar. Acompanhe uma amiga e observe com atenção os profissionais que aí trabalham. Parece que demonstram um alto nível de profissionalismo quando estão a trabalhar? Falam demasiado de si mesmos ou escutam as suas clientes? Estão a prestar a devida atenção ao que estão a fazer? Parece que estão a pressionar as suas clientes como se não lhes pudessem dispensar muito tempo? Estão a fazer dois serviços ao mesmo tempo, como um corte num local e uma coloração noutro? Dá a sensação de que está demasiado ocupado para se preocupar consigo?   Se assim for, continue a sua procura durante mais algum tempo. Não tem nada de mal fazer-se de difícil; apesar de tudo é o seu visual e a sua auto-estima que estão em jogo.

Procure sempre os conselhos de um bom profissional
Procure sempre os conselhos de um bom profissional

Obviamente que não podemos julgar toda a gente pela primeira impressão, mas nalguns casos podemos abrir algumas excepções. Com o que se parece o cabelo do seu estilista? Se é jovem e tem um estilo “punk” violeta bastante selvagem, com seis brincos e piercings nas orelhas e nariz, outro na língua que a faz salivar constantemente… Neste caso é legitimo perguntar se estará à altura para se ocupar do estilo tradicional do qual está procura.

Por outro lado, se num canto de um salão uma cabeleireira apenas se ocupa das mulheres mais maduras, o mesmo problema ocorrerá no lado oposto. Olhe bem para o profissional e tente aperceber-se se aquele é o estilo que procura. Que representam os seus cabelos para si? Tem um corte que gostaria de ter? Enquanto está a trabalhar parece seguro do que faz? Tal como numa passagem de nível, olhe, observe e escute.

Outras questões se impõem: que reputação tem o salão? Que reputação têm os profissionais que aí trabalham? São de facto profissionais e respeitáveis? Enquanto os está a ver a trabalhar, observe se limpam as escovas e os rolos ou se simplesmente os reutilizam directamente no cliente seguinte. Varrem os cabelos rapidamente ou aguardam um pouco até terem saído alguns clientes? Estão bem visíveis as suas carteiras ou diplomas profissionais?

Todas estas questões devem ser lavadas em conta, tem que perguntar a si própria o que considera importante num bom profissional de cabeleireiro.

Infelizmente no momento em que o profissional acaba de terminar o curso o público vê-o como inexperiente. Isso não está necessariamente correcto, principalmente se o profissional sai de uma escola reconhecida. De facto, os jovens recém diplomados conhecem a fundo as últimas tendências de corte e coloração e deveriam inclusive servir de modelo para os restantes membros de um salão. Aqui o problema é o mesmo no que respeita aos cabeleireiros com mais idade. O público julga pela aparência sem ter em conta a sua imensa experiencia. Os estilistas com idades mais avançadas e que seguiram as últimas tendências em matéria de cortes e colorações são verdadeiras “pérolas raras”.

Quanto está disposta a pagar por um corte de cabelo? No mínimo, se o preço for elevado, o que vai pagar é uma boa reputação e experiência. Um preço justo por um trabalho sério.

Algumas vezes a mulher pede um estilo moderno, dando-se conta mais tarde de que não lhe fica bem. A profissional era boa e o cabelo excelente mas a verdade é que ficou horrorizada quando viu o pouco cabelo que tinha na cabeça. O que falhou então? Os seus amigos elogiam o seu novo visual, mas estava acostumada aos seus cabelos compridos que desapareceram num ápice.

Curto, médio ou comprido, um corte de cabelo é adaptado a si
Curto, médio ou comprido, um corte de cabelo é adaptado a si

Como pode evitar que isto volte a suceder? Primeiro não siga as tendências à risca. O facto de existirem diferentes e novos estilos todas as temporadas, não significa necessariamente que se adeqúem a si. Se está cansada de usar sempre o mesmo visual vá mudando pouco a pouco, não de uma só vez. Comente isso com quem lhe vai tratar do cabelo e peça-lhe a opinião. Pergunte-lhe se pode começar esta pequena grande mudança que tem em mente.

Pouco a pouco o volume volta. Talvez a sua personalidade não se adapte a uma mudança rápida, provavelmente está acostumada aos seus cabelos longos. Passar de um estilo comprido a um estilo curto pode ser uma experiência traumática, por isso elimine esse stress.

Uma mudança de visual não pode ser chocante ou cansativa se feita progressivamente. E isto, é algo que está ao alcance de todas as mulheres.

Sem comentários ainda

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será divulgado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.