Vamos falar sobre o luxo sustentável e a moda

Vamos falar sobre o luxo sustentável e a moda

Luxo e moda sustentáveis formam um conjunto requintado e são um mercado que cresce a cada dia. Esses produtos também devem ser tão bonitos por dentro quanto por fora.

Ouvimos falar de luxo sustentável há muito tempo. Embora os sectores de luxo por excelência e tradição tenham sido joalharia e arte, que sempre tiveram uma posição privilegiada, a moda não está muito atrás. Desde sempre serviu para indicar o status social e, portanto, reflectiu o nível de consumo daqueles que a vestem. Os acessórios, relógios, perfumaria e cosméticos completariam o sector.

O que é eco luxo?

Não é fácil dar uma definição única de luxo, mas já no estudo de Havas Media (2008), o encontramos descrito de acordo com o que consideramos um produto sustentável. O que para os consumidores significa “produto melhor” está ligado ao impacto que o seu desenvolvimento, fabricação ou venda tem no planeta e nas pessoas.

Vamos falar sobre o luxo sustentável e a moda

Alguns especialistas do sector de produtos de luxo pode operar de uma maneira que respeite o meio ambiente e a sociedade como um todo, não apenas pela mitigação ou redução do seu impacto, mas também pelo papel catalisador da mudança por um impacto positivo.

Vamos falar sobre o luxo sustentável e a moda

Há quem defina luxo como o oposto do hiper-consumo, que se baseia em comprar muito, mal e de usar e deitar fora.

Hoje, rastreabilidade dos produtos consumidos é uma das preocupações das gerações mais jovens, que não estão satisfeitas em saber apenas de onde vêm os produtos que compram, mas também querem saber o impacto que a fabricação e venda desse maravilhoso produto – vestuário, calçado, carteira ou jóia – tem no mundo. Portanto, o futuro do luxo sustentável está garantido.

Não se pode falar em termos de distribuição geográfica, pois as marcas de luxo são globais e esses itens e a sua imagem são os mesmos em todo o mundo. Mas o impacto da China e do Japão no tamanho do sector é inegável, não apenas para as vendas nos seus mercados locais, mas também para as geradas por turistas japoneses ou chineses nas suas viagens à Europa ou aos EUA. Os mercados emergentes (China, Índia, Brasil, Rússia …) já são essenciais para a indústria de luxo.

Moda de luxo sustentável

Existem grandes representantes do eco luxo na moda e, além disso, algumas marcas e grupos importantes que os agrupam, também são a referência onde as mais pequenas se podem destacar.

Por exemplo, sabiam que a Tiffany eliminou o coral da sua oferta porque não pode ser cultivado de forma sustentável? Ou que Ermenegildo Zegna e Loro Piana recuperaram a Cordilheira dos Andes, que estava em vias de extinção, proporcionando um modo de vida próspero às comunidades locais que lidam com a produção de pastoreio e lã? Um grande bravo para essas marcas.

Vamos falar sobre o luxo sustentável e a moda

Grandes grupos empresariais como a Kering, que controla marcas de luxo globais como Gucci, Saint Laurent, Stella McCartney ou Puma, estão a desenvolver linhas de negócios de moda com consciência para o futuro imediato. O interesse deles em transformar a moda de luxo numa referência para a sustentabilidade levou-os a criar a chamada Estratégia de 2015.

Como dizem no seu site “é uma necessidade, porque sustentabilidade e luxo são a mesma coisa”. Pretendem ajudar a criar o luxo de amanhã e, para isso, estabelecem um novo roteiro até 2025 com três pilares: Cuidar, Colaborar e Criar.

E você? O que acha da combinação de luxo e moda? Acha que é o futuro da moda? Espero os seus comentários.

Jorge M. Salgado

Imagens: divulgação Vamos falar sobre o luxo sustentável e a moda . .
Sem comentários ainda

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será divulgado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.