Yulia Lipnitskaya retira-se: fama, sucesso e… anorexia

Yulia Lipnitskaya retira-se: fama, sucesso e... anorexia

GENTE – Aos 15 anos ganhou uma medalha de ouro olímpico em patinagem no gelo, tornando-se a campeã mais jovem de todos os tempos. Com 19 anos decidiu-se retirar e não defenderá o seu ouro nas próximas Olimpíadas de Pyeongchang em 2018. Tudo por causa da anorexia.

Foi a sua mãe, Daniela Lipnitskaya, a responsável por informar a agência de notícias oficial TASS: “Yulia informou a federação (de patinagem) da sua decisão de se retirar em Abril, depois de ter sido seguida durante três meses um tratamento por anorexia”.  Uma notícia terrível pois estamos a falar de uma das promessas mais jovens de patinagem mundial e de uma desportista que com tão apenas 15 anos já havia batido todos os recordes, ganhando uma medalha de prata no Mundial de 2014 em 2014 e ocupando o primeiro lugar com a medalha de ouro mais cobiçada no mundo, a dos Jogos Olímpicos de Sochi 2014. Uma corrida que acabava de começar e que deixou o mundo da patinagem boquiaberto com performances sublimes e uma técnica impressionante.

Yulia Lipnitskaya retira-se: fama, sucesso e... anorexia

Pressão mediática, lesões e mudança de menina a mulher

Não é normal ganhar uma medalha de ouro com apenas 15 anos, sendo apenas uma recém chegada. E precisamente por esta razão, Yulia Lipnitskaya chamou a atenção de inúmeros meios de comunicação e chegou a ser capa da revista Time duas vezes. Embora a patinagem artística não seja um desporto tão popular como os outros, o mundo inteiro estava ciente disso, o que lhe gerou ansiedade e a levou a fazer declarações como a que ele fez com à agência AFP: “Não tenho liberdade e tenho que justificar tudo. Vivo em stress contínuo. Isto não é vida”.

22

Ao mesmo tempo, o seu corpo não parava de se desenvolver, crescendo de rapariga a mulher, mas também fazendo perder o eixo dos saltos, algo fundamental para qualquer patinador artístico. A consequência é que seu nível baixou e ela não pôde participar do Campeonato Europeu de Estocolmo nem defender o seu ouro,ficando em nono lugar nos nacionais e tudo ao seu redor se parecia desmoronar.

E a luta contra o excesso de peso (mantendo essa figura infantil de apenas 37 quilos) foi constante. A sua treinadora, Eterí Tutberidze, afirmou que nunca tinha visto nada assim em todos os anos no mundo da patinagem artística: “ela não consegue comer praticamente nada. Quando necessitava de perder peso, apenas comia pó de celulose, o que lhe dá energia. Mas ela está bem, graças a Deus. Tem um carácter muito forte”.

A pressão que o seu corpo continuava a responder, mas que não crescia em nenhum momento, foi brutal para a jovem Yulia. Uma factura que, juntamente com a fama e lesões derivou em anorexia que ela não conseguiu controlar sem ajuda médica e que a forçou a retirar-se.

 

O positivo da notícia é que a Federação Russa de Patinagem no gelo não a dá por perdida e tem uma reunião prevista para se encontrar com ela com o intuito de falar sobre o seu futuro.

Sem comentários ainda

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será divulgado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.